Fabricantes instaladas no polo de Manaus produzem 58.611 unidades e atingem o melhor janeiro desde 2015

As fabricantes de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus – PIM produziram 58.611 unidades em janeiro. De acordo com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, esse foi o melhor janeiro desde 2015. Naquela ocasião, foram produzidas 56.402 bicicletas.

O volume produzido representa um aumento de 13,3% na comparação com o mesmo mês do ano passado (51.752 unidades) e um salto de 168,2% em relação a dezembro passado (21.857 unidades).

Na avaliação de Cyro Gazola, vice-presidente do Segmento de Bicicletas da Abraciclo, fatores como a queda na taxa de juros e o crescimento da confiança do consumidor influenciam o aumento da demanda.

“Percebemos também que a oferta de produtos com mais recursos tecnológicos e valor agregado estão impulsionando os negócios na indústria de bicicletas”, complementa Gazola.

Além disso, o executivo destaca que a expansão das ciclovias e a mudança de hábito das pessoas, que procuram praticar uma atividade física para ter uma vida mais saudável, também contribuem para o aumento da demanda por bicicletas nas médias e grandes cidades brasileiras. “Cada vez mais, vemos pessoas utilizando a bicicleta como meio de transporte para ir de casa para o trabalho”, diz.

Com este cenário favorável, a Abraciclo prevê um crescimento de 10,8% no volume de produção em 2019, que deverá totalizar 857 mil unidades fabricadas no PIM.

RESULTADOS POR CATEGORIA

A categoria Mountain Bike (MTB) foi a mais produzida em janeiro, com 31.294 unidades, volume 45,9% superior ao registrado no mesmo mês do ano passado (21.454 bicicletas). Na comparação com dezembro passado (13.711 unidades), a alta é de 128,2%.

Na sequência, vem a categoria Urbana, com 20.605 unidades, correspondendo a uma queda de 12,3% na comparação com janeiro de 2018 (23.486 bicicletas). Em relação a dezembro passado (7.653 unidades), no entanto, a alta foi de 169,2%.

Já a categoria Estrada totalizou 751 unidades, aumento de 44,1% sobre o mesmo mês do ano passado (521 unidades) e de 57,1% na comparação com dezembro (478 unidades).

Como em dezembro passado foram fabricadas somente 15 unidades da categoria Infanto-Juvenil, em janeiro a produção disparou: 5.515 unidades, o que representa uma variação superior a 36 mil por cento. Contudo, na comparação com o mesmo mês do ano passado (6.291 unidades) houve uma queda de 12,3%.

A partir deste ano, a Abraciclo passa a incluir a categoria Elétrica em seus dados mensais. Em janeiro, foram fabricadas 446 unidades desta categoria no PIM.

Segundo a entidade, a categoria MTB representa 53,4% do mix de produção. Em segundo lugar, está a Urbana (35,2%), seguida pela Infanto-Juvenil (9,4%), Estrada (1,3%) e Elétrica (0,8%).

Confira a seguir as características básicas das bicicletas de cada categoria:

Urbana/Recreacional – caracterizada pelas bicicletas projetadas para mobilidade urbana ou recreação fora da terra. Para isto, oferecem maior conforto, com posição de pedalar mais confortável, amortecimento frontal ou não, pneus slick (com banda lisa) e semi-slick (banda com cravos bem baixos ou desenhos), para-lamas ou não e luzes de segurança.

Mountain Bike (MTB) – bicicletas destinadas ao público adulto, geralmente com aros de 26 a 29 polegadas, quadros full-suspension e/ou amortecimento frontal. Ideais para o uso em trilhas e terrenos acidentados.

Estrada – bicicletas com aro de 700 milímetros, pneus estreitos slick e quadro e garfo sem amortecimento. Destinadas às modalidades de performance no asfalto.

Infanto-Juvenil – bicicletas destinadas ao público de oito a 15 anos, nas quais o tamanho do aro varia entre 20, 24 e 26 polegadas.

Elétrica – inclui bicicletas com aros de 20 até 29 polegadas, de uso urbano/recreacional e mountain bike (MTB), que atendem às determinações da Resolução nº 465/2013 do Conselho Nacional de Trânsito – Contran, a saber: potência máxima de 350 watts, funcionamento do motor somente quando o condutor pedala (tipo Pedelec), não dispõem de acelerador ou de qualquer outro dispositivo de variação manual de potência e têm velocidade máxima de 25 km/h, com corte do funcionamento do motor a partir desta aceleração.

Os volumes de bicicletas produzidos no PIM em janeiro foram distribuídos para comercialização nas seguintes regiões do País: Sudeste, com 55,9% das unidades; Sul, 15,2%; Norte, 12,6%; Nordeste, 10,9% e Centro-Oeste, 5,5%.

IMPORTAÇÃO

Segundo dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat analisados pela Abraciclo, em janeiro foram importadas 3.874 bicicletas em todo o território nacional, o que representa queda de 77,9% na comparação com o mesmo mês do ano passado (17.515 unidades).

As bicicletas importadas vieram principalmente da China (81,8%, com 3.168 unidades), seguida de Taiwan (13%, com 505 unidades) e da França (3,4%, com 132 unidades).

Fonte: Abraciclo

Deixe logo abaixo o seu comentário