O desempenho no primeiro quadrimestre também foi superior na comparação com 2017; Região Sudeste foi a que mais absorveu bicicletas neste período

As indústrias de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) fecharam abril com 61.370 unidades produzidas, o que representa alta de 24,5% sobre o mesmo mês do ano passado (49.275). Já na comparação com março (60.682 unidades) o crescimento foi de 1,1%. Os dados são da Abraciclo, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares.

 

O bom desempenho também foi observado no acumulado dos quatro primeiros meses do ano: de janeiro a abril saíram das linhas de produção 220.069 bicicletas, expansão de 12,6% sobre as 195.372 unidades produzidas no mesmo período do ano passado.

Para João Ludgero, vice-presidente do Segmento de Bicicletas da Abraciclo, o avanço no primeiro quadrimestre mostra que o setor de bicicletas deve seguir este movimento de crescimento sustentável. “Esta alta deve-se à recuperação da economia e, também, ao aumento da demanda por produtos de maior valor agregado, que são considerados ideais para a melhoria da mobilidade urbana e o alcance de resultados mais significativos nas práticas esportivas”, diz Ludgero. A projeção da entidade é fechar o ano com 727 mil bicicletas produzidas no PIM, o que representará um crescimento de 9% sobre as 667.363 unidades registradas em 2017.

Ainda segundo dados da Abraciclo, os volumes de bicicletas produzidas no PIM foram distribuídos nos primeiros quatro meses do ano, para comercialização, nas seguintes regiões do País: Sudeste, com 59,2% das unidades; Sul (16,3%); Nordeste (13,4%); Centro-Oeste (6,1%); e Norte, com 4,9%.

Resultados por Categoria

Os dados divulgados pela entidade mostram também que em abril foram produzidas 35.199 bicicletas da categoria Urbana, correspondendo a uma alta de 3,7% sobre março (33.930 unidades). Mountain Bike, MTB, contou com 25.466, recuo de 2,1% na comparação com o mês anterior (26.015 unidades). Por último, a categoria Estrada, totalizou 705 unidades, significando uma queda de 4,3% sobre março (737 unidades).

Em participação, a Urbana aparece no topo do ranking, com 57,4%, seguida de MTB, com 41,5%, e Estrada, com 1,1%. Vale destacar que o segmento MTB vem crescendo principalmente porque é um tipo de bicicleta muito utilizada para o uso urbano, apesar da sua aplicação clássica como veículo off-road.

Confira a seguir as características básicas das bicicletas de cada categoria:

Urbana/Recreacional – caracterizada pelas bicicletas projetadas para mobilidade urbana ou recreação fora da terra. Para isto, oferecem maior conforto, com posição de pedalar mais confortável, amortecimento frontal ou não, pneus slick (com banda lisa) e semi-slick (banda com cravos bem baixos ou desenhos), para-lamas ou não e luzes de segurança.

Mountain Bike – bicicletas destinadas ao público adulto, geralmente com aros de 26 a 29 polegadas, quadros full-suspension e/ou amortecimento frontal. Ideais para o uso em trilhas e terrenos acidentados.

  1. Estrada – bicicletas com aro de 700 milímetros, pneus estreitosslick e quadro e garfo sem amortecimento. Destinadas às modalidades de performance no asfalto.

Importação e Exportação

Segundo os dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) analisados pela Abraciclo, a importação de bicicletas em todo o território nacional totalizou 5.103 bicicletas em abril, queda de 27,9% na comparação com o mesmo mês do ano passado (7.075). Na análise dos primeiros quatro meses do ano, foi verificado o volume de 36.833, o que representa variação de 0,3% sobre o mesmo período de 2017 (36.728).

Já as exportações registraram queda de 82,3%, sendo apenas 269 unidades embarcadas para outros países em abril deste ano ante 1.522 no mesmo mês de 2017. No acumulado, foram 2.348 unidades – aumento de 6,8% sobre as 2.198 bicicletas embarcadas para outros países no mesmo período do ano passado. Paraguai foi o principal destino com 66,1% do volume, seguido da Bolívia (27,5%) e México (6,4%).

Fonte: Abraciclo

Deixe logo abaixo o seu comentário