“Vamos beber até altas horas e mais tarde dou um corridão ou mando aquele pedal com a galera e tá tudo resolvido”.

As vezes trabalhamos nossa mente e consciência, para que uma ação negativa seja suprimida por uma ação positiva, tão logo. É uma “lógica” que seguimos após uma noite cheia de álcool e resolvermos tomar o caminho mais curto para uma possível recuperação: Queimar os excessos de gordura. Mas no caso da bebida, tem-se um agravante.

Guillermo Rodríguez, médico esportivo do Instituto Avanfi (Localizado na Europa), publicou alguns alertas sobre o perigo da combinação ressaca e esporte, em um dos maiores jornais mundiais, o El País. O profissional médico alerta que nestas condições “nossos músculos não estão bem recuperados, o que aumenta o risco de lesões”.

Somando a acidose causada pelo álcool, que em conjunto com a produção do ácido láctico a partir da prática esportiva, multiplica o risco de sofrer problemas musculares.

Um terceiro fator, é que o álcool provoca uma importante alteração metabólica na glicose do nosso organismo, o que reativa o risco de lesão.

Segundo Dr. Rodriguez, ” o risco cardiovascular também se multiplica “. A falta de descanso fará com que o coração trabalhe em uma frequência muito maior que o que normalmente estaria, se o corpo estivesse em repouso.

Recentemente um dos posts mais visitados aqui no site, é sobre o cardiologista que informa sobre os riscos dos praticantes de atividades física de fim de semana. Clique aqui para ver.

Imagine por um momento, combinar uma semana sedentária com ressaca, e veja o tamanho do problemão.

Pratique atividade regularmente. Cerca de 30 minutos diários não lhe farão falta e seu corpo, agradece.

Deixe logo abaixo o seu comentário