Com várias opções, incluindo transmissões single e dupla, trocas de marcha mecânicas ou eletrônicas, relações de 11 e 10 velocidades, compatibilidade com canote retrátil e relações de macrhas mais ampla ou mais próximas, dedicadas a todos os estilos de ciclismo em estradas de gravel (cascalho) e aventura.

Após um amplo processo de pesquisa, teste e desenvolvimento, reunindo feedback de ciclistas do mundo todo em trilhas, estradões, pistas e caminhos diversos, com todos os níveis de competitividade, a Shimano apresenta uma nova série de componentes batizada de GRX; a primeira família de componentes dedicada ao gravel (estradas de cascalho) e rotas de aventura, do mundo, desenvolvido para um pedal em velocidade e com performance em trechos com superfícies pedregosas.

GRX oferece componentes das séries RX800, RX600 ou RX400 com transmissões 1×11, 2×11 e 2×10, além de opções de câmbio mecânico e eletrônico Di2, para que os ciclistas possam personalizar sua experiência de pilotagem em terrenos mistos, e possam explorar além dos limites habituais, indo a uma ampla variedade de terrenos.

O desenvolvimento desta série levou a equipe de desenvolvimento da Shimano para além dos seus limites tradicionais, para criar uma plataforma que abordasse as necessidades dos pilotos, hoje e no futuro. Seja pedalando em estradas de cascalho (gravel), pedais descolados na estrada, passeios tipo mochileiro ou satisfazendo as necessidades dos ciclocross mais exigentes, o SHIMANO GRX oferece opções que vão desde relações de marcha adequadas ao gravel, até ergonomia personalizada, integração com canote retrátil e rodas GRX específicas para terrenos acidentados, com perfis de aro mais largos.

Os Componentes

Entrando nos detalhes, o grupo GRX inclui três opções de pedivela – 1×11, 2×11 ou 2×10 – além de câmbios dianteiros e traseiros, pinças de freio a disco com alavanca de freio em linha e alavancas STI hidráulicas esquerda e direita, que vêm com câmbios Di2 ou opções de mudança mecânica.

Estes componentes empregam tecnologias de mudança de marcha mais tops da Shimano, tanto do ciclismo de estrada quanto de mountain bike, para oferecer a precisão e a estabilidade da mudança de marcas pelas quais a empresa é conhecida. Com o GRX, o resultado é um sistema de transmissão suave e silencioso que é especialmente configurado para as características únicas de terrenos de cascalho, para posições de pilotagem e projetos de bicicletas gravel.

Para simplificar, Shimano GRX recomenda o uso de cassetes e correntes Shimano MTB (Deore XT, SLX ou Deore) ou Road (Ultegra, 105, Tiagra) já existentes no lineup da Shimano. Além da série líder de categoria Shimano GRX 800, há também componentes de 11 velocidades mais acessíveis, um pedivela da série 600 e um conjunto de trocadores que podem ser mesclados perfeitamente com peças da série 800, e pedivelas de 10 velocidades, câmbios e trocadores / freios. Isso significa que você pode criar tudo, desde uma bike GRX leve, de nível competição, até uma bike GRX mais resistente e robusta para lazer, em um nível mais econômico de preço.

Pedivelas GRX:

Os pedivelas GRX foram projetados para enfrentar diferentes tipos de terrenos e estilos de pilotagem, todos com uma linha de corrente de + 2.5mm para aumentar a folga do pneu e do quadro. Os pedivelas single GRX oferecem a simplicidade de troca de marchas somente no cassete traseiro (as opções incluem cassetes RX800 / 600 40D ou o cassete RX800 42D) e são oferecidos com o perfil de dente da Shimano Dynamic Chain Engagement na coroa dianteira, para uma maior retenção da corrente em terrenos irregulares. Ao mesmo tempo, o pedivela duplo RX810 trabalha com uma folga de 17 dentes que, na relação 48-31D, é a relação de engrenagens mais ampla que a Shimano oferece. Juntamente com as opções adicionais RX600-11 / 10 46-30D, os pedivelas duplos proporcionam relações de marcha suficientemente amplas para enfrentar as subidas mais íngremes e encarar as descidas mais extremas.

Pesos dos pedivelas GRX: 1×11: FC-RX810-1: 655g (foto), FC-RX600-1: 753g. 2×11: FC-RX810-2: 722g (foto), FC-RX600-11: 816g, FC-RX600-10: 819g

Câmbios dianteiros (FD) GRX: Complementando os pedivelas, os câmbios dianteiros Di2 (FD-RX815) ou Mecânicos (FD-RX810 / RX400) são construídos com 2,5mm a mais de espaçamento para pneus mais largos (até 42mm) para facilitar a pedalada em terrenos irregulares. Isso significa que os câmbios dianteiros GRX devem ser usados em combinação com pedivelas Shimano GRX de + 2,5 mm. Ambos os câmbios dianteiros RX800 mecânicos e eletrônicos (Di2) foram projetados para trabalhar com a relação de transmissão 48-31D com coroa dianteira mais ampla de 17D da Shimano, enquanto o câmbio FD-RX400 de 10 velocidades acomoda as coroas de 16D que integram os pedivelas RX600 46-30D de 10 velocidades.  Os FD Shimano Di2 podem ser perfeitamente ajustados usando controles simples e integrados da Shimano, enquanto FDs mecânicos trazem uma sensação de mudança dianteira extremamente leve com uma curva de potência ergonômica, construção de link para mais opções de cabeamento e um parafuso de tensão de cabo integrado para ajustes precisos e fáceis. Seja escolhendo mudanças eletrônicas ou mecânicas, todos os câmbios dianteiros proporcionam o lendário desempenho de troca de marchas dianteiras da Shimano.

Pesos dos câmbios dianteiros GRX: FD-RX815-F: 131g (foto), FD-RX810-F: 94g (foto), FD-RX400: 95g

Câmbios Traseiros GRX (RD): Adotando a tecnologia apresentada no câmbio traseiro RX 2018, os GRX Di2 RD (RD-RX815 / RX817) ou RDs mecânicos (RD-RX810 / RX812 / RX600) são projetados para trocas de marcha silenciosas, suaves e confiáveis em terrenos acidentados através do sistema de estabilização de corrente, o SHADOW RD + para gerenciar a “vibração da corrente”, minimizando o movimento desnecessário do braço do câmbio e proporcionando desempenho de trocas de marchas sem interrupções. O GRX vem com a opção de quatro câmbios dependendo do cassete e operação de mudança de marchas que você escolher. Ciclistas utilizando um cassete Ultegra, 105 ou Tiagra de 11-30 / 34D precisarão usar o short cage (braço curto) Di2 RD-RX815 ou câmbio traseiro mecânico RD-RX810, enquanto os ciclistas que optarem por cassetes nível Deore XT, SLX ou Deore 11-40 / 42D, vão precisar de um câmbio long cage (braço longo) Di2 RD-RX817 ou mecânica RD-RX812 RD, ambos com uma relação de puxada de cabo similar aos câmbios de estrada da Shimano. Pesos de câmbios traseiros GRX: Di2: RD-RX815 / RD-RX817 (foto): 288 / 322g. Mecânica: RD-RX810 / RD-RX812 (foto): 251 / 264g

Alavancas GRX STI: Mudança de marchas da GRX é proporcionada por alavancas ergonômicas específicas dedicadas para o gravel (Di2: ST-RX815 ou Mecânica: ST-RX810 / RX600 / RX400, ST-RX810-LA) com um ponto de eixo 18mm mais elevado, perfil de alavanca de freio curvo e acabamento texturizado antideslizante que garante um “grip” seguro em terrenos acidentados.

Para integrar o uso de canotes retráteis nos pedais em gravel, a SHIMANO criou a alavanca esquerda de freio a disco hidráulico GRX mecânica ST-RX810-LA que, quando usada com relação 1×11, pode controlar o canote retrátil enquanto mantém um cockpit clean. O sistema integrado de tração de cabos possui um acionamento por alavanca de 9 mm para operar os canotes retráteis com os terminais de cabo na alavanca de câmbio. O SHIMANO GRX também inclui alavancas de freio a disco hidráulico do lado esquerdo Rx800 e RX800 específicas da série 1×11 sem rota interna para canote retrátil ou mudanças, incluindo a alavanca esquerda 1×11 Di2 (ST-RX15), que vem com três botões (dois botões laterais e botão superior na parte superior da borracha – hood) para operar funções auxiliares, como luzes ou computadores de terceiros.

Sistemas de frenagem GRX: A principal preocupação dos ciclistas de gravel é ter potência de freio suficiente para controlar a velocidade em descidas íngremes e repentinas. É por isso que, existe uma classe superior da família GRX: uma variante das alavancas de freio da série RX800 (ST-RX815) que oferece a tecnologia Servo Wave proveniente dos freios de mountain bike da Shimano. Isso proporciona uma sensação de frenagem mais forte com maiores opções de modulação para uma pilotagem mais agressiva. Pode-se optar pela versão não servo-wave do RX810 ou pelas alavancas das séries RX600 e RX400, que fornecem um nível excelente de potência de frenagem a disco, como nos freios a disco Ultegra, 105 ou Tiagra, respectivamente.

Uma opção de frenagem adicional é a sub-alavanca de freio hidráulico em linha (BL-RX812-L / R) que se conecta ao sistema hidráulico principal que direciona para a pinça dianteira ou traseira. A sub-alavanca foi projetada para ser montada no guidão ao lado da mesa, oferecendo opções para a frenagem quando se pedala com as mãos na parte sulerior do guidão.

As pinças GRX (BR-RX810 / 400) remontam ao design das pinças de estrada flatmount da Shimano para entregar desempenho de frenagem potente, com recursos como sangria unidirecional e pastilhas e rotores de freio com aletas de dissipação de calor da ICE TECHNOLOGIES, para oferecer resfriamento eficiente e longa duração de desempenho do freio.

Conjunto de Rodas Específico para Gravel: Para uma experiência completa, a Shimano tira o chapéu para o espírito de aventura do gravel, com dois conjuntos de rodas de eixo E-THRU de 12 mm para gravel / aventura (WH-RX570-TL-F12 / R12). Os conjuntos de rodas 700c ou 650b (sem Boost) tubeless oferecem um equilíbrio ideal entre peso, rigidez e durabilidade para rodar em terrenos de gravel, apresentando aro 21.6mm mais largo (comparável com rodas de MTB XC) e aro de altura off-set (descentrado) de 22mm.

No geral, com as múltiplas opções e especificações disponíveis, o GRX tem um amplo apelo e uma ampla mensagem para ciclstas de todas as disciplinas.

Deixe logo abaixo o seu comentário