Competição em 2019 terá cobertura inédita de veículos como o canal de TV aberta NHK do Japão e a RAD Sport Szene, da Áustria

Disputa dos líderes (Fabio Piva / Brasil Ride)

A décima edição da Brasil Ride, um das principais ultramaratonas de mountain bike do mundo, tem tudo para ser histórica não apenas dentro das trilhas, como também fora delas. Se o interesse dos ciclistas do mundo inteiro em competir no evento, entre 20 e 26 de outubro, no Extremo Sul da Bahia, fica evidente pelo fato de a prova atingir rapidamente o limite de 500 inscritos, a procura das mídias internacionais para fazer a cobertura também chama atenção.

O interesse de veículos do exterior tem aumentado. O programa Great Race, do canal japonês de TV aberta NHK, e a Rad Sport Szene, da Áustria, pretendem mandar suas equipes para a cobertura da competição, que pelo quarto ano seguido tem etapas em Arraial d’Ajuda, em Porto Seguro, e no município de Guaratinga. “Ficamos muito felizes pelo fato de cada vez mais veículos estrangeiros estarem nos procurando para vir ao nosso País, mais precisamente à Bahia, para acompanhar a Brasil Ride. Ou seja, mostrando ano a ano a internacionalização da nossa ultramaratona”, comenta Mario Roma, fundador da prova.

Pódio da open (Fabio Piva / Brasil Ride)bRASIL

O programa Great Race da TV NHK do Japão exemplifica a magnitude que a Brasil Ride alcançará, com a previsão de ter um episódio único de 90 minutos sobre a décima edição da ultramaratona realizada na Bahia, com uma audiência de 1,5 milhão de pessoas apenas na primeira vez que o episódio for ao ar, ou seja, o número aumenta para mais de 2 milhões com as reexibições, sem contar outras mídias internacionais que divulgam a prova. Cerca de 16 pessoas da equipe de produção, coordenada por uma empresa produtora da Nova Zelândia, devem comparecer ao evento no mês de outubro, para filmar cada quilômetro da corrida. Já a revista Rad Sport Szene, também contará com a produção de vídeo, para registrar os momentos da sua dupla de “media riders”.

Aposentadoria eternizada – Mais um ciclista de renome no MTB escolheu a Brasil Ride como prova para ter o seu “grand finale” no esporte. Depois do tcheco Jiri Novak, em 2017, quando conquistou o tricampeonato da ultramaratona ao lado de Henrique Avancini, e do bicampeão mundial, o belga Roel Paulissen, que junto com o mineiro Hugo Prado Neto fizeram em 2018 as suas despedidas, desta vez o português Luis Leão Pinto tem sua aposentadoria programada para a Brasil Ride. Campeão em 2012 ao lado de seu conterrâneo Tiago Ferreira, Luis competirá com o espanhol Enrique Morcillo na décima edição do evento. Todos os momentos da dupla da Buff Scott MTB Team serão registrados por uma equipe de vídeo, levando para outros milhares de pessoas as emoções dessa corrida especial para o ciclista português.

A prova – Considerada a Giro d’Itália do MTB mundial, a ultramaratona marcada para os dias 20 a 26 de outubro, no Extremo Sul da Bahia, oferece um forte desafio para os 500 atletas participantes do mundo inteiro. Durante sete dias, eles têm pela frente cerca de 600 km e quase 11.000 m de altimetria acumulada, entre trilhas e estradas de terra que ligam Arraial d’Ajuda, em Porto Seguro, à Vila Brasil Ride, construída anualmente em Guaratinga. No último dia da competição, o sábado (26), mais 1.200 ciclistas de todo o País juntam-se às estrelas do mountain bike internacional, para a disputa da Maratona dos Descobrimentos. Uma oportunidade única de pedalar e ver de perto os melhores mountain bikers do mundo.

Inscrições – As inscrições para a décima edição da ultramaratona ainda estão abertas. Para garantir uma vaga, basta acessar o site da Brasil Ride: www.brasilride.com.br, onde estão disponíveis todas as informações sobre a competição, ou então, diretamente pelo link de inscrição do site Sprint: https://app.sprinta.com.br/event/305535ba5255638219.

Deixe logo abaixo o seu comentário