Suspensão de Bicicleta. Como diria o dito popular: “Prevenir é melhor do que remediar”, mas muitos ciclistas preferem remediar do que prevenir o que acaba se tornando mais caro em um segundo momento. Em outros casos – não raros, ao chegar na hora da manutenção, o “ciclista” faz a venda para a loja, em que esta nem se dá ao trabalho de testar, olhar, fazer uma manutenção mínima para a vender ao cliente. Infelizmente já passei por isso, e por estar em contato direto com alguns donos de oficinas, os relatos são semanais de suspensões extremamente problemáticas por falta de manutenção, seja do dono atual, ou no pior dos casos daquela bike “semi-nova” que você acabou de comprar na loja.

Suspensão da Bicicleta

Mesmo que você seja um ciclista com vários kilometros rodados, calibrar pneus, regulagem de marchas, óleo na corrente e verificar se existem raios quebrados, já não bastam mais. É preciso olhar o conjunto da bicicleta como um todo, principalmente no quesito suspensão, já que nem todos os mecânicos tem a expertise no assunto.

A vida útil de uma suspensão da bicicleta, via de regra, é dada em horas de uso – não tenho conhecimento de manutenção de suspensão com base em kilometros rodados. Portanto, é importante ficar atento ao intervalo do tempo de manutenção, entender as adversidades que podem aparecer e procurar um profissional de confiança para poder realizar a manutenção preventiva de forma adequada.

Suspensão de Bicicleta a ar, via de regra necessita realizar uma manutenção preventiva a cada 50 horas de uso, e a revisão completa a cada 100 horas. Quando se trata com trilha com chuva (água no geral, seja rios ou lagos em que a bicicleta passa por dentro), a recomendação é que se procure um mecânico tão logo o término da aventura. Neste caso, não só para a suspensão, mas para a bicicleta como um todo, pois em locais onde não existe vedação, a água fatalmente irá penetrar, causando prejuízos maiores com o decorrer do tempo.

Suspensão da Bicicleta

Em se tratando de água, como mencionado no parágrafo anterior, após a infiltração, a parte interna do equipamento sofrerá com a corrosão, gerando folgas e o incorreto funcionamento da trava, podendo levar até a perda do material. Em contato com a poeira, o problema ocorrerá ainda de forma mais rápida, visto que se tornará uma espécie de lixa, reduzindo e muito a vida útil do seu equipamento.

Procure sempre mão de obra especializada, e se for o caso, ligue para o Serviço de Atendimento ao Consumidor – SAC, de sua fabricante para maiores informações. Desta forma, você não entregará a sua bicicleta nas mãos de um mecânico que vai aprendendo a medida em que seu equipamento vai sendo aberto.

Quais as características de uma suspensão de bicicleta com problema?

Bom, três itens basicamente são de suma importância, e vão te indicar se sua bicicleta está ou não com problema. São eles:

Elastômetro: Ao perder a propriedade elástica, a suspensão ficará mole e comprimida.

Hastes: Durante a frenagem, é possível identificar a folga entre as hastes e o monobloco. Além da coloração que também pode alterar na região com maior funcionamento das hastes.

Vazamento: As suspensões trabalham tanto com óleo, quanto a ar, e ambos podem sofrer com vazamentos. Esse vazamento pode comprometer os demais componentes da suspensão, então se você perceber excesso de óleo nas hastes, ou uma perda de pressão em um curto período de tempo, sua suspensão pode estar com problema.

E você, tem algum comentário a fazer? Queremos saber sua opinião. Deixe seu comentário no campo abaixo que teremos o maior prazer em conversar com você.

Eai, bora pedalar?

SEM COMENTÁRIOS

Deixe logo abaixo o seu comentário