Seja aro 26″, 27.5″ ou 29″, uma coisa elas tem em comum: pneu. Com cravo, sem cravo, slick ou semi-slick, os pneus são fundamentais para a prática mais segura do esporte, afinal o pneu é responsável por manter a bicicleta em contato com o solo e de quebra, evitando que você fique literalmente no prego (que trocadilho ruim!!!).

A intenção com este post não é dizer o que é melhor ou pior (se é que eu posso afirmar isso) sobre quais pneus utilizar em tais condições de terreno e clima, mas sim, lhe informar sobre o que existe no mercado e sobre o que cada um pode lhe ajudar, para que você possa fazer uma escolha mais correta de acordo com a sua necessidade.

Antes que os críticos digam que eu não disse sobre o pneu XYZ, a intenção aqui é dar um norte para a maioria das pessoas e que se for o caso, criaremos um artigo no futuro para cada tipo de pneu.

Vamos lá…

Desde que homem é homem, passando pelos primeiros pneus ainda maciços, até a invenção do pneu pneumático (cria uma almofada de ar entre o aro e o pneu) por John Boyd Dunlop, os pneus de bicicleta (já que é do que estamos tratando aqui) vem evoluindo ano a ano com novas tecnologias que chegam sempre as prateleiras.

Desta forma, existem centenas de opções disponíveis para você, que pode ser um ciclista de final de semana e até um profissional. Se há muitas opções disponíveis, há também preços bastante variados, desde os pneus populares que atendem muito bem a maioria das pessoas e seus valores partem de R$20/25 reais a unidade, aos sofisticados pneus tubulares de competição que são feitos a mão e custam a bagatela de R$600 reais ou mais a unidade.

Novamente, é preciso saber qual a sua necessidade. Mas vamos começar pelo mais básico.

Diâmetro do pneus da bicicleta

A primeira coisa que devemos saber é o tamanho do aro. Como?

Caso você já tenha a bike, olhe na lateral do pneu que se encontra em sua bike, e descrições como ’26 x 1.5′, ’29 x 2.0′, ‘27.5 x 2.2’, estarão a mostra. Achou? Pois então, o primeiro número indica o tamanho do aro (diâmetro), e o segundo indica a largura.

Imagem: Diâmetro do Pneu de bicicleta

Rodas com o aro 26, equipam atualmente a maioria das bikes que circulam no Brasil e no mundo, mas não raro e com uma crescente nas vendas, bikes com o aro 29 e 27.5, já são realidade. Em outro post, conversaremos sobre estes tipos de aro, ok? Me cobrem.

Se por ventura alguma dúvida pintar, procure um mecânico de sua confiança ou vá até uma bike shop, para pedir orientação a algum profissional com mais experiência. A título de informação, existem ainda aros 20, 24 que dizem respeito a bikes do tipo BMX, infantis e infanto juvenis.

De posse desta informação, vamos a busca da…

Largura do pneu da bicicleta

Sem muito mistério e rodeio, é o segundo número após o aro. Pra que serve? Quanto maior o número, maior a largura, que se traduz em mais aderência, segurança, conforto e estabilidade em condições adversas de clima e solo, como por exemplo buracos, lama, e chuva.

O problema deste pneus é a resistência ao rolamento, também chamado de arrasto, onde gastamos mais energia para tirar a bike do lugar.

Pneus mais finos (números menores), são mais firmes, trazem menos peso (na teoria, pois varia de material para material) e mais desempenho, já que o seu contato com o solo é menor, trazendo mais velocidade ao ciclista. O contra ponto disto ai, é que são mais propensos a corte, furos, menor aderência e empeno do aro (a distância do asfalto para o aro é menor).

Existe uma tabelinha para você poder se basear. Lembrando que NÃO É REGRA.

Uso recomendado Largura
Asfalto de 1.0 a 1.6
Downhill Acima de 2.1
Cross-country / MTB de 1.7 a 2.0

 

De posse da largura e diâmetro, vamos ver a…

Banda de rodagem do pneu da bicicleta

Nada mais é do que a parte do pneu da bicicleta que está diretamente em contato com o solo. Já reparou que existe pneus com cravos, “carecas” com vários tipos de desenho? Pois é, nada é coincidência e cada um tem sua função, de acordo com SUA necessidade.

Pneus Slick

Pneus “carecas” (diferente de pneu em má condição), também conhecidos como pneus slicks, são indicados para que quer rodar basicamente no asfalto, pois seu rendimento em parques, ciclovias e em terrenos semelhantes, são perfeitos. Ponto negativo, é que não podem ver agua ou areia, pois seu grip (aderência) é muito baixo e nestas condições citadas, quedas são algo a se considerar mesmo com os sulcos ajudando na vazão da água.

Imagem: Pneu de bicicleta Slick

Pneus Cross-country, XC ou com cravos.

Pneus com cravos altos, são melhores em terrenos com areia e lama (pneus mud). Pneus de bicicleta com cravos baixos, tendem a ter um ótimo rendimento em locais de terra batida (ex: estradas carroçais). Quanto maior a distância entre um cravo e outro, menos lama e terra deve se acumular na banda de rodagem. Desvantagem é que no asfalto, seu desgaste é maior e mais energia tem que ser gasta para manter a bike em movimento.

Imagem: Pneu de bicicleta com cravo

Pneus mistos

Uma terceira versão para as MTB (Mountain Bikes) são os pneus mistos. Geralmente a banda de rodagem é slick (careca) com cravos em suas bordas. Assim é possível ter o desempenho do asfalto com um mínimo de estabilidade em curvas e na terra, desde que seja algo leve.

Estes três tipos de pneu, são os mais utilizados no mercado. Importante lembrar que o seu quadro pode NÃO comportar um pneu com a largura muito alta podendo ficar inutilizado. Verifique junto a um profissional de sua confiança.

Pronto. Já sei qual o aro da minha bike, a largura do pneu, o tipo de banda de rodagem. Comprei! Posso instalar? Sim, mas se atente para um negócio chamado…

Direção de Rotação do pneu da bicicleta

Em outras palavras, é em qual direção o pneu deverá rodar. Algo que sempre passa desapercebido e “ninguém” percebe esta informação na lateral do pneu.

Existem pneus que podem ser utilizados nas duas rodas. Há pneus que são projetados para cada roda, pois o da frente exige mais tração em freadas e curvas, enquanto que o traseiro mais tração no arranque sem tanta aderência nas curvas, visto que o peso do seu corpo trata de mantê-lo com a tração mínima. Há ainda pneus que só podem rodar em uma direção.

Para saber de todas estas informações, olhe na lateral do pneu e você verá seta(s) junto da palavra rotation.  O pneu deverá calçar o aro no sentido que a seta apontar. Há pneus em que a seta aponta para os dois lados, e desta forma, você poderá coloca-lo em qualquer direção (meus pneus por exemplo, em um sentido ganho mais aderência, e no outro, mais velocidade.) Palavrinhas como front (frente) e rear (traseira) deverão ser observadas para saber em qual dos aros instalar.

Pneus já no local, é preciso enche-los, então partiremos para…

Calibrar os pneus da bicicleta

A calibragem é algo tão importante como qualquer outra coisa, e não somente um “arzinho”.

Rodar com a calibragem incorreta pode deformar o pneu prematuramente, deteriora-lo e fazer com que você gaste mais energia para sair do local. Você pode não perceber, mas seu carro/moto gasta bem mais gasolina para andar em cima de pneus murchos.

Não há uma receita de bolo sobre calibragem, já que depende de diversos fatores, como largura e altura do pneu, terreno em que você vai andar e etc.

Novamente na lateral do pneu, você encontrará um número seguido de P.S.I (ex: 35 PSI).

Foto: Pressao de pneu

No caso da imagem acima, este pneu deverá ser calibrado entre 90 a 125 PSI (Pound per Square Inch, na tradução”: libra por polegada quadrada). Pneus de MTB ficam entre 35 a 65 PSI, já de speeds (bikes de estrada), entre 80 a 120PSI. Como eu disse que não há receita de bolo, verifique na lateral do seu pneu as respectivas indicações.

Bicicleta montada, pneu e aro no local. Você vai encher o pneu e se dá conta que o bico da bomba não é compatível com o…

Tipo de válvula da bicicleta

Existem vários tipos de válvula disponíveis no mercado, mas as mais comuns são o bico fino (Presta) e bico grosso (Schrader).

Tipos de Válvula MTB

As vávulas do tipo Schrader são muito utilizadas em automóveis, motos e isso a torna muito comum. Caso precise de um “arzinho” em seu pneu no meio do pedal, em um posto de combustível será possível encontrar a bomba de ar que seja compatível com seu bico.

As válvulas do tipo “presta” são mais modernas, e por isso podem ser encontradas em bikes de estrada e MTB mais novas (sim, você pode colocar esta válvula na sua bike). Elas são mais eficientes em seu trabalho, que é a retenção do ar, mas que necessitam de uma bomba ou um adaptador específico para encher o pneu.

Abaixo, segue o exemplo de um adaptador que é rosqueado na válvula presta e que pode ser utilizado para encher o pneu em qualquer posto de combustível. Preco: Varia entre R$5 e R$20 reais.

Bom, se você chegou até aqui, posso dizer que boa parte da história sobre pneu, você já sabe. Eu vou parar por aqui, pois há muito o que falar sobre pneus com estrutura de Kevlar, de arame, com câmara, sem câmara, com proteção anti-furos e etc, etc, etc.

Nos próximos dias, publico o outro artigo que vai falar sobre estes itens mencionados acima.

Duvidas? Sugestões? Deixe seu recado no campo de comentário, logo abaixo.

 

SEM COMENTÁRIOS

Deixe logo abaixo o seu comentário