Quem troca o carro ou o transporte público pela bicicleta em seus deslocamentos geralmente não volta em sua decisão, o que pode causar uma certa estranheza por aqueles que não andam de bike, afinal pode parecer menos comodo.

O site Arch Daily divulgou uma série de pesquisas que explicam os motivos desta adesão, e seus ganhos. Uma delas foi feita no Reino Unido, onde foram analisados 20 mil percursos em mil ciclistas que portavam equipamentos que monitorava a frequência cardíaca, a respiração e a duração do trajeto com o objetivo de identificar alguma relação entre os níveis de estresse. Pessoas que usavam o transporte público e o carro também foram monitoradas.

Continue lendo o artigo no site VIATROLEBUS

SEM COMENTÁRIOS

Deixe logo abaixo o seu comentário