Adipômetro, instrumento utilizado para medir a taxa de gordura corporal, é uma dos meios de avaliação utilizado pelo nutricionista da Funvic. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Adipômetro, instrumento utilizado para medir a taxa de gordura corporal, é uma dos meios de avaliação utilizado pelo nutricionista da Funvic. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Que a alimentação é um dos principais diferenciais para atletas, principalmente de alto rendimento, isso não é novidade para ninguém. Até mesmo na nossa vida, meros mortais, ela é importantíssima. O problema é que poucos levam isso a sério e quando se trata de investir nesses cuidados voltados a um grupo, a situação fica ainda mais complicada.

Foi pensando nesses fatores e visando uma alimentação mais saudável para seus atletas, que a equipe brasileira de ciclismo Funvic Soul Cycles & Carrefour, da cidade de São José dos Campos, única da América Latina com chancela Profissional Continental da União Ciclística Internacional (UCI), contratou um nutricionista para elaborar e acompanhar a dieta de cada um dos seus integrantes.

Breno Sidoti fazendo avaliação do ciclista Ramiro Rincón. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Breno Sidoti fazendo avaliação do ciclista Ramiro Rincón. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

A “missão” foi dada ao ex-ciclista da equipe, Breno Sidoti. Formado em Nutrição e pós-graduado em Nutrição Esportiva, ele está há alguns meses acompanhando o grupo. O resultado, até o momento, tem sido de uma dieta mais balanceada e rica em nutrientes essenciais para cada um. “Cada ciclista passa por uma série de averiguações e, em cima destes resultados, montamos uma planilha de alimentação específica para eles”, afirma Sidoti.

E o trabalho que a equipe brasileira vem fazendo com seus ciclistas, não se resume ao dia a dia dos períodos de treinamento e de descanso, mas também e principalmente, visa oferecer uma alimentação de qualidade para seus ciclistas dentro do período em que estão em competições, sejam elas nacionais ou internacionais.

Salada com alface, tomate, atum, cebola e aspargos. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Salada com alface, tomate, atum, cebola e aspargos. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

O Bike76 está acompanhando o trabalho do nutricionista Breno Sidoti, que está junto com a equipe na Europa. Todos os dias, Sidoti elabora uma cardápio variado, desde o café da manhã até o jantar, visando fornecer a quantidade e a qualidade certa na alimentação e na hidratação dos ciclistas.

No café da manhã, o cardápio inclui arroz ou macarrão [sem tempero ou molho], geralmente os ciclistas comem acompanhado de azeite; ovos mexidos; pão integral ou torradas; cereais; iogurte, leite e café. Frutas também podem ser adicionadas. “Eles precisam de uma refeição reforçada para começar o dia, com carboidrato, proteína e gordura, pois isso irá ajudar e muito no decorrer da prova”, explica o nutricionista.

Para facilitar a alimentação dos ciclistas durante a prova, bananas são cortadas em pedaços e empacotadas em papel alumínio

Para facilitar a alimentação dos ciclistas durante a prova, bananas são cortadas em pedaços e empacotadas em papel alumínio

Durante a prova, os ciclistas também recebem uma alimentação baseada em calorias, gordura e proteína. Lanchinho salgado feito com pão, cream cheese, presunto de peru ou presunto parma; lanche doce que é preparado com pão, doce de leite e M&M’S® no meio; bolacha doce com goiabada; frutas, gel, barras de cereais; água e isotônicos, fazem parte deste período do dia em que o atleta está em ação.

Neste momento, a hidratação é de suma importância, pois o calor tem sido intenso nos dias de disputa da Volta a Portugal, girando na casa dos 40ºC. Para se ter uma ideia, cada ciclista tem consumido em torno de 9 litros de líquidos [água e isotônicos]. São 15 garrafas de 600 ml durante a prova para cada ciclista, o que pode aumentar, dependendo da extensão da prova.

No almoço, o cardápio inclui arroz ou macarrão [carboidratos], carne vermelha, salada, pão, água e água com gás. Também há sobremesa, preferencialmente frutas, pois o açúcar [frutose] contido nelas, é de melhor qualidade para a geração de energia.

Ciclistas da Funvic durante almoço. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Jantar com macarrão e preferência para carne branca. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Já para o jantar, o cardápio é mais leve, com pasta e carnes brancas [frango ou peixe], que são de mais fácil digestão. Salada e água também fazem parte desta refeição, além da sobremesa.

Filé de frango com purê de batata. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Filé de frango com purê de batata. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Segundo Sidoti, o consumo de calorias por cada atleta durante um dia de prova, gira entre 3 e 5 mil.

Isso é um pouco do que estamos vendo e acompanhando na Funvic durante Volta a Portugal. Em breve, mais reportagens especiais, que terão foco nos fisioterapeutas e seu trabalho e também no trabalho essencial dos mecânicos.

Fonte: Bike76

COMPARTILHAR
Artigo anteriorUm dos Circuitos mais alucinantes de DH no Brasil
Próximo artigoNovos artigos para o site BikeRN
Filipe
Entusiasta e "praticador" de esportes. Aprendeu a nadar ainda criança e descobriu o ciclismo graças ao pai, que ainda cedo o levava para passear na cidade. Desde então, sempre que pode, dá uma voltinha de bicicleta.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe logo abaixo o seu comentário