O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, usou sua página no Facebook para se pronunciar sobre o Velódromo do Rio Janeiro. Muitas pessoas, principalmente ligadas ao ciclismo, vinham se perguntando e questionando sobre o futuro do equipamento utilizado nos Jogos Olímpicos.

Diversas matérias, algumas citando até  que a madeira da pista já tinha destino, foram criadas e espalhadas, principalmente pelas redes sociais. Basta uma rápida busca pelo “mundo do Google” que descobre-se que o Centro de Inteligência Urbana de Porto Alegre (CIUPOA), Organização Não Governamental que trabalha cidades frente às Mudanças Climáticas, recebeu parte da madeira que veio da Sibéria, madeiras essas que sobraram da construção da pista e que foi doada para a construção da sede do Projeto Morro da Cruz. (veja aqui). Ela não irá receber a madeira do desmonte da pista, até porque não existe nada que comprove isso.

Bom, citado isso, vamos ao que disse o ministro em sua página. Ele começou falando em “especulações”, que realmente são muitas e só até o momento. Não há nenhuma nota oficial, até agora, sobre outro destino para o velódromo e Piciani afirma isso. “Não haverá outra destinação! De fato, todo o Parque Olímpico está em processo de concessão pela Prefeitura do Rio de Janeiro. No entanto, o velódromo, o centro de tênis e a Arena Carioca 2 permanecerão como equipamentos para treinamentos esportivos, projetos de inclusão social, iniciação ao esporte e competições esportivas”, afirma o ministro.

Ele ainda fala sobre o compromisso firmado com a prefeitura do Rio. “A prefeitura fará isso nos três equipamentos [velódromo, Centro de Tênis e a Arena Carioca 2]  e, inclusive, já assinou conosco um protocolo de intenções garantindo tal compromisso”.

Até o momento, o que nós sabemos, de verdadeiro, é isso. Agora é torcer para que vontades e egos não atrapalhem neste trâmite todo e que o velódromo seja realmente um dos legados da Olimpíada, não só para o Rio de Janeiro, mas para todo o Brasil.

A pista do velódromo foi construída com pinho siberiano e é a mais moderna do país. Ela custou aos cofres da União, R$ 147 milhões.

 Postagem do Ministro Leonardo Picciani

Fonte: http://bike76.com/

SEM COMENTÁRIOS

Deixe logo abaixo o seu comentário