No ultimo domingo (10/04) a cidade de Assu no Rio Grande do Norte, recebeu cerca de 280 ciclistas para a 1ª Ecotrilha do Vale do Assu e nós estivemos mais uma vez para cobrir e prestigiar o evento, em uma parceria com os organizadores do evento.

Ainda no dia 9, todos os ciclistas que encontravam-se na cidade foram receber o Kit da organização do evento em frente à uma das lanchonetes da cidade. O ponto para a entrega do kit, ao meu ver, foi estrategicamente escolhido. Estabelecimento de fácil localização, em um ponto central na cidade, sem muitas voltas para encontra-lo. Nota 10!

Sobre a cidade, o que me impressionou foi a organização e o tamanho da cidade de Assu, pois eu sempre que passei pela rodovia federal, não tinha noção da quantidade de estabelecimentos, espaço das ruas da cidade, limpeza e entre outras coisas que nós como visitantes, as vezes nos pegamos fazendo comparativo com outras cidades das quais passamos. Muito bom mesmo!

Voltando ao evento…

O kit começou à ser entregue com um pouco de atraso em relação ao horário definido pela organização, mas nada que viesse a atrapalhar os participantes ali presentes. Infelizmente, assim que começou a distribuição, a fila que ainda era pequena demandava um pouco de paciência por conta da espera. O motivo para a insatisfação de alguns, era a lista de nomes em que não foi organizada em ordem alfabética, dificultando assim a procura e localização dos nomes por parte da organização.  Minutos depois, a lista foi distribuída para outros integrantes da equipe e então a fila começou a caminhar no ritmo normal. Quem ainda assim quisesse, ficaria por ali curtindo os bares e restaurantes da cidade.

1ª Ecotrilha do Vale do Assu
Bolos e Pães no Café da Manhã

Com o café da manhã marcado para as 05:00h e o “start” do evento as 06:00h no dia 10/04, tratamos de chegar logo cedo, pois tudo se encaminharia para os horários marcados. Então, antes do sol se levantar, já estávamos de pé nos preparando para as trilhas de Assu e as surpresas que nos reservava.

O local escolhido para início e término do evento, foi um dos restaurantes da cidade. Grande, amplo, com uma boa área verde, bonito e limpo, foram palavras que escutei dos ciclistas que estavam ao meu redor. E realmente foi um dos melhores locais em que já estive no que se refere à recepção ao ciclista. A organização teve o cuidado de limpar o terreno ao lado para que pudesse servir de estacionamento, e a ideia foi muito boa, já que pouquíssimos carros estacionaram ao longo da rua.

1ª Ecotrilha do Vale do Assu
Restaurante

Ciclistas não paravam de chegar a todo momento, e o café da manhã começou a ser servido por volta de 5:35h, formando uma longa fila para tal.

Frutas, pães recheados, bolos, sucos, café e leite, cuscuz com ovo e carne moída, fizeram parte do combustível necessário para começarmos o pedal. Um detalhe que achei bem interessante, foi o fato de deixarem aberto uma unidade de cuscuz com os itens mencionados acima, já que estes estavam armazenados em “caixinhas”de isopor, evitando assim que muitos abrissem para ver o conteúdo. Detalhes assim, ao meu ver, fazem a diferença.

Com a fila ainda grande e com a maioria dos ciclistas ainda chegando, inevitavelmente não começaríamos as 6:00h como a organização divulgou.

Com um atraso de cerca de 00h:40min e com uma lua (leia-se sol) cada vez mais forte e radiante, começamos o pedal por volta das 06h40min.

Acompanhados pelo carro de som, percorremos um trajeto em asfalto ainda pelo centro da cidade, até atravessarmos a BR-304 com a ajuda do Departamento de Trânsito Local, que fez toda a sinalização e interrompeu o transito para que pudéssemos atravessar com extrema segurança.

Cerca de 50 metros, a primeira bifurcação aparecia aos ciclistas, e junto com ela, indicava o caminho para quem iria percorrer o trecho de 35km e de 50km.  Assim que minha atenção foi retomada para a pista (após escolher o trajeto de 50 km), uma subida do tamanho do mundo surgiu bem na minha frente sem ao menos dar um aviso, um sinal de fumaça, uma mensagem no whatsapp, convidar para um jantar. Que tenso!!!!! Foi assim, durante boa parte do trajeto.

Entre subidas e descidas, pedras soltas, single-tracks, areia e água, fomos vencendo todos os obstáculos do terreno. E que obstáculos!

1ª Ecotrilha do Vale do Assu

Em determinado trecho, a sinalização não estava completa (leia a nota da organização no final deste artigo), e ao invés de voltarmos para o estradão (função da sinalização), muitos ciclistas foram se encaminhando para o sangradouro da barragem.

O terreno era tão irregular, em que não era possível pedalar. Motos que estavam conosco tiveram dificuldade para passar em determinados trechos recheados de pedras, as vezes íngremes, as vezes com buracos feitos pela ação da água, e caminhar fez parte deste trecho durante alguns longo minutos.

1ª Ecotrilha do Vale do Assu

Lembro-me de ter olhado no relógio e ele ter me apresentado 11 km percorridos em quase 01h20min de evento. Como não há recompensa sem esforço, alguns ciclistas foram contemplados com uma belíssima vista de todo o vale. Muito ficaram sentados ao longo das pedras admirando a paisagem. Eu que normalmente mantenho meu ritmo durante os eventos, não resisti e parei para observar a vista. Realmente, fantástico!!!!

1ª Ecotrilha do Vale do Assu

Felizes os que passaram por ali, pois assim que a organização identificou o problema na sinalização, tratou de ajustar o percurso e redirecionar os ciclistas que vinham chegando até aquele ponto. Além de causar um grande atraso ao término do evento caso todos fossem pelo sangradouro, o risco de acidente iria ser imenso, pois poses para foto do alto e da ponta de pedras seriam inevitáveis. Parabéns pela rápida solução do problema.

Passado este trecho, era hora de botar o pedal na estrada. Sendo assim, prosseguimos por um estradão com uma vista maravilhosa da barragem, repleto de verde, pássaros, lagoas. Tudo muito bonito e belo, sem ser entediante.

Passamos pelo paredão de agua da barragem e alguns kilometros depois estávamos no segundo ponto de apoio (ou terceiro, já que me parece que pulei um). Bem equipado, com uma maior variedade de itens a serem consumidos pelos ciclistas.

1ª Ecotrilha do Vale do Assu

Frutas, água, gelo, energético, sombra, bom humor e descontração, além de algumas piscinas e bicas de água acompanharam quem chegava por ali.

1ª Ecotrilha do Vale do Assu
Primeiro ponto de apoio – 50km

De volta à estrada, mais uma subidinha, até entrar no asfalto novamente e em seguida, single-tracks alternando-se com estradões e porteiras, com belas vistas das serras do RN ao fundo. Uma paisagem realmente fantástica.

Chegamos à outro ponto de apoio, bem simples, com frutas, agua e gelo para recarregar as energias e prosseguir para o ultimo trecho do pedal. Após passar por um vilarejo, e dar de cara com uma fábrica de telhas/tijolos, eu pude ver o estrago que uma fábrica dessa faz à natureza. Muitas estradas são abertas, árvores derrubadas para virar lenha e para a retirada da terra que irá servir de matéria-prima para os produtos. Triste, mas a natureza é bem mais forte que o homem.

1ª Ecotrilha do Vale do Assu
Estrada perto da fabrica de tijolos e telhas

Alguns metros depois, caímos no curso do rio Assu. Com água pela cintura, todos foram direcionados à atravessar o rio. Alguns com suas bicicletas nas costas, outros acima da cabeça, outros de tão cansados, vinham rebocando a bicicleta dentro da água e tudo isso sob a supervisão de 2 integrantes do “Corpo de Bombeiros”. Eu, que não gosto de me molhar durante os eventos por “n” motivos, não resisti e fiquei por ali uns 20 minutos.

1ª Ecotrilha do Vale do Assu
Chegando ao ponto de travessia do Rio Assu

De banho tomado, e de volta ao pedal, quando achei que iria encarar mais uns 15 km, já estava dentro de Assu finalizando a prova. Que pena, fiquei com o gosto de quero mais!!!

De todos os eventos que participei, este foi um dos que menos “cansei”. Acho que por um mix de tudo: Melhor preparação física, tempo favorável sem muito vento e sem sofrer a ação forte do sol, vegetação mais verde (o que influi na temperatura ambiente) e principalmente por um trajeto que não lhe entediava. A todo momento era uma subida, descida, single-track e se comparados aos outros eventos, os estradões foram basicamente utilizados para transição de uma trilha a outra. Nada de percorrer longos trechos de estradas de terra e após uma subida, mais estradas de terra.

1ª Ecotrilha do Vale do Assu

Realmente o percurso escolhido pela organização foi muito bom, apesar de alguns acharem que foi meio “pesado” o percurso de 50km, recomendo um treino mais intenso para os próximos pedais! Assim você curte e não torce para o pedal acabar logo!!!

De volta ao ponto de partida, o almoço, foi outro ponto que me chamou bastante atenção. Certo de que seria somente servido após a chegada de quase todos os ciclistas, não teve preço nenhum no mundo que pagasse ao almoço após os 44 km, o fato de simplesmente chegar e comer.

1ª Ecotrilha do Vale do Assu

Nos outros eventos, sempre após a chegada ainda é necessário esperar um bom tempo para poder almoçar. Cheguei, lavei as mãos para tirar a poeira e fui atrás da “recompensa”, sem filas, sem drama, sem demora, sem espera. Com uma opção de cardápio bastante variada e uma comida bastante saborosa, foi “só alegria”. Parabéns aos organizadores do evento e do restaurante. Nota 10! Se eu pudesse sugerir, acho que esta deveria ser uma boa prática em todos os eventos. Facilita e muito a vida de quem chega com fome, ou de quem precisa almoçar para ir embora, não enfrentando filas e nem demora depois de um longo pedal!

Infelizmente não pude ficar para o final (vi apenas um pedacinho do show e que me causou uma ótima impressão), mas tenho certeza que se o padrão de todo o evento foi seguido para a finalização, fecharam com chave de ouro.

Abaixo, temos uma nota da organização do evento:

E você o que achou da 1ª Ecotrilha do Vale do Assu? Compartilhe sua opinião conosco.

Veja aqui algumas fotos do trajeto:

1ª Ecotrilha Vale do Assu

 

SEM COMENTÁRIOS

Deixe logo abaixo o seu comentário